maio 02, 2011

'Mal Secreto', de Jards Macelé e Waly Salomão

mal secreto
(jards macalé – waly salomão)

"não choro
meu segredo é que sou rapaz esforçado
fico parado, calado, quieto
não corro, não choro, não converso
massacro meu medo
mascaro minha dor
já sei sofrer
não preciso de gente que me oriente
se você me pergunta “como vai”?
respondo sempre igual “tudo legal”
mas quando você vai embora
movo meu rosto do espelho
minha alma chora
vejo o Rio de Janeiro
comovo, não salvo, não mudo
meu sujo olho vermelho
não fico parado, não fico calado, não fico quieto
corro, choro, converso
e tudo mais jogo num verso
intitulado Mal Secreto"


Cantado por Luiz Melodia, muito belo!


maio 01, 2011

Hoje tive uma hemorragia de poemas, não a toa. Passei o dia mexendo no blog, mudando layout, widgets, gadgets, e afins. E Leminski já falava:

PLENA PAUSA

"Lugar onde se faz
o que já foi feito,

branco da página,
soma de todos os textos,
foi-se o tempo
quando, escrevendo,
era preciso
uma folha isenta.

Nenhuma página
jamais foi limpa.
Mesmo a mais Saara,
ártica, significa.
Nunca houve isso,
uma página em branco.
No fundo, todas gritam,
pálidas de tanto."

Feliz dia do trabalho ;*
A vergonha mora
cintura acima.
Mostrar o coração
é mais difícil
que mostrar a calcinha.

Mulata

Os teus lábios, mulata
também sorria
Seus olhos, mulata
a luz se abria
Seu sopro, mulata
me iluminava
Ardia, mulata
em meu corpo caia.
----

Nunca fiz um poema por encomenda, mesmo não gostando desse. Vou colocar aqui pra não se perder ao vento.
;)

Inexplicavelmente

O mar que existia,
como um caldo quente,
ligava o que havia
igual a uma corrente.

Um espaço que existia
-hoje inexistente -
ligava o que sentia,
não mais envolvente.

abril 23, 2011

Esse dias nublados me lembram
de amores deixados
no caminhar dos dias.
De café coado
madruga a fora,
de consensos chegados
no raiar da aurora.
Do chão duro e frio,
e que calores antigos:
vem e vão embora.
Do sonho passado,
um dia traçado,
pro futuro de agora.

Juliana B.

fevereiro 19, 2011

Canção do Amor Imprevisto, de Mario Quintana

Canção do Amor Imprevisto


"Eu sou um homem fechado.

O mundo me tornou egoísta e mau.

E a minha poesia é um vício triste,

Desesperado e solitário

Que eu faço tudo por abafar.

Mas tu apareceste com a tua boca fresca de madrugada,

Com o teu passo leve,

Com esses teus cabelos...

E o homem taciturno ficou imóvel, sem compreender

nada, numa alegria atônita...

A súbita, a dolorosa alegria de um espantalho inútil

Aonde viessem pousar os passarinhos."



Mario Quintana

fevereiro 15, 2011

Minha alma é feita, basicamente, de vento nordeste.
Destelhando casas, derrubando placas,
e anunciando uma nova estação.

Lástima

Lástima, Lá-estima, Last-ima
Lástima, L-estima, Lost-ima
Lástima, El-estima, Lose-ima
Lástima, Ele-mina, Lose-estima
Desilusão.

fevereiro 14, 2011

Sossega Coração, de Leminski

"sossega coração,

sossega,

a hora não é agora

a confusão prossegue

sonhos a fora

calma, calma

logo mais a gente goza

perto do osso

a carne é mais gostosa"

(LEMINSKI)

fevereiro 13, 2011

"Sim, confesso sim", de Ronaldo de Andrade

me joguei nas pedras

para sentir a seiva

de todas as vidas;

- perdi

as fontes da canção

no meu corpo pairou

a última expressão.


(Ronaldo de Andrade, 1954)